quarta-feira, 22 de junho de 2011

Café & Veneno: Comidinhas que provei

Café & Veneno: Comidinhas que provei: "por katia maia Inauguro aqui no Café & Veneno a série ‘Comidinhas’ . Na verdade, não há pretensão alguma nessa minha iniciativa. Não quero..."

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Fadiga Cultural na veia

O dia em que acordei cansada de toda essa "droga que já vem malhada antes de eu nascer".



Inevitável: a primeira coisa que me vem a cabeça é a música do Cazuza ‘Brasil’ porque não tem outra explicação para essa farra com o dinheiro publico que a gente ouve e vê diariamente, a todo o momento. Chega a ser insuportável. Todo dia tem uma coisa que, claro, não é nova, mas é recorrente.

É desvio de dinheiro para cá, armação para lá, falta de zelo com a coisa publica para todo o lado. Cansa! Chego a pensar que um dia a gente vai se acostumar e não vai dar mais ouvidos para toda essa lama. Aliás, ‘um dia’ que já está muito próximo.

Não devia, mas hoje eu acordei com preguiça dessa palhaçada toda. Ontem, ao assistir aos telejornais (e hoje pela manhã) fui me sentindo triste, enfraquecida, quase em letargia com o desmando e o sentimento de 'se dar bem' dos nossos homens públicos.

As notícias davam conta de armações, jogadas e decições que querem nos enfiar guela abaixo como se fossem normais. E, para mim, não é normal, por exemplo, querer esconder quanto se gasta de dinheiro público (meu, seu, nosso) em obras monstruosas como as que serão feitas para Olimpíadas e para a Copa.

A gente até diz: - todo mundo sabe que esses dois eventos mundiais aqui no Brasil vão ser a verdadeira ‘farra do boi’ com o dinheiro público. Vejam bem: a gente já estava (até)  incluindo no pacote o fato de que ‘roubar e superfaturar vão mesmo, de qualquer jeito’. Mas daí a aceitar que o roubo fique encoberto por um sigilo descarado e desrespeitoso.

Eu digo e repito: pago muito imposto e vejo pouco retorno - para o povo - porque para os políticos e governantes, esses estão sempre bem na foto. Haja vista o caso #PalocciGate que bastou a exoneração para a coisa esfriar. E ele continua com os R$ 20 milhões na conta e o sigilo das emrpesa para quem deu consultoria mantidos.

Aí vem o segundo sigilo do dia: os documentos ultrasecretos dos governos passados. Ah, bom, então é isso: a divulgação deles ameaça a segurança nacional? Sei... E o brasileiro é burro!

Bom, deve ser mesmo, porque não fazemos nada. Vem um ex-presidente que foi ‘impichado’ do cargo por corrupção, volta, vira senador e senta a bunda sobre os papéis em prol de uma bem maior. O bem dele, claro.

E o Sarney! O que esse cara tem de reputação para dizer que está pensando no bem nacional! Ele nunca fez isso. Sempre considerou a coisa pública como seu roçado. Tratou o  Senado FEderal como uma empresa sua onde pode contratar namorado de neta, nomear e desnomear a vontade por atos secretos (de novo o secreto). Bom está provado que ele não sabe administrar o secreto quando o interesse é do povo. Quando é o dele, está letrado.

É velha máxima: quem não deve, não teme.

E a Dilma, torturada, vítima da ditadura, agora compactua com isso! Não me venha com chorumelas! Aí tem e é coisa braba!

A verdade é que, como bem disse a minha amiga @MemeliaMoreira, ao tentar me consolar nesse dia de completa descrença: “esse cansaço que tu sentes já é estudado pela Psicologia. Há inclusive especialistas. Eles chamam de "fadiga cultural. Eu tenho.

Eu também Memélia e infelizmente milhares de brasileiros.