quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Um dia, quem sabe...

por katia maia

Pronto! Agora, o país pode novamente respirar seu ritmo normal de vida. Acabaram-se as eleições e podemos levar nossas crianças à escola, ir para o trabalho, sair para o almoço etc, sem ter que enfrentar no dial do rádio a ‘desestimulante’ propaganda eleitoral.

Sim, porque no primeiro turno fomos obrigados a engolir as patéticas inserções de candidatos a deputado que muitas vezes não sabiam nem mesmo pronunciar seus nomes direitos. Não era raro ouvirmos um sonoro ‘pobrema’ aqui ou acolá.

Já no segundo turno, nossos ouvidos foram inundados por acusações, ofensas e baixarias polarizadas entre os dois que restaram para essa etapa final das eleições.

Bom, a verdade é que tudo se definiu e agora temos que trabalhar com o cenário que as urnas desenharam. Que não é bom nem é ruim, mas democrático, eu diria. Há quem se sinta perdedor, há quem saia vencedor. Mas, democracia é isso: é preciso perder para que se possa ganhar.

Mas, olha, independentemente de ideologias, o que eu espero daqui para frente é que o Brasil melhore. Não importa se torcemos pela Dilma ou pelo Serra. O que importa é que, agora, temos que torcer pelo Brasil e isso significa a esperança de que a presidente eleita faça o melhor pelo país.

Meu filho mais novo me perguntou, frente ao resultado das urnas:
-mãe, se a Dilma fizer um bom governo, você vota nela nas próximas eleições?
Ao que eu respondi:
- filho, eu voto sempre em quem fizer o melhor pelo Brasil. É isso que importa, é nisso que temos que acreditar.

Não sou do time que fica torcendo para que o eleito faça o pior só para provar que eu estava certa ou não. Sou do time que espera que o futuro seja melhor e que aquele eleito pelo povo faça valer todos os votos que recebeu.

A verdade é que é isso que todos nós esperamos: que os governantes façam o que for melhor para o povo e para o país. A verdade é que estamos cansados de tantos escândalos, acusações, baixarias. A verdade é que agora temos que torcer para que as coisas andem no caminho certo e que a fiscalização e a transparência estejam sempre a postos para mostrar o que está encoberto e camuflado.

Sei que não é fácil. Sei que há esquemas, sei que nada muda de uma hora para a outra. Acho até dificil que se mude porque está tudo tão arraigado na forma de se fazer política nesse país, mas, acredito também que o Brasil tem avançado e evoluído no que se refere à vigilância sobre os equipamentos públicos.

Claro que não sou ingênua ao ponto de pensar que os esquemas irão acabar (claro que não). Mas, sou brasileira e não desisto nunca de acreditar que um dia, quem sabe...