sexta-feira, 10 de junho de 2016

Um país em construção

por katia maia

Desculpe o transtorno, estamos trabalhando para o seu maior conforto. É assim que me sinto quando percebo no meu dia a dia momentos, atitudes, gestos que hora me fazem acreditar no país, nas pessoas, hora me fazem totalmente desesperançada. 
Não basta danificar...
De repente, numa simples corrida matinal, me deparo com um exemplo e deseducação, falta de espírito coletivo, de não educação. No caminho, o reparo em uma ciclovia torna-se falta de respeito com a coisa pública, com o que é meu, seu, de todos nós. O que era melhoria para todos, transforma-se em egoísmo e prazer de destruir de apenas um. No cimento fresco, a falta de cuidado, e a palavra escrita sem propósito, com que intenção, para quê?  Para danificar apenas? Por quê? Perguntas que não me retornaram respostas no decorrer de minha corrida.
De repente, na mesma corrida matinal, ao atravessar a rua, percebo que um motorista de ônibus pára um veículo daquele tamanho para me respeitar como pedestre e esperar que eu atravesse a via. E olha que eu nem estava na faixa de pedestre. Foi gentileza pura. Apenas isso. Um gesto que contrasta com a grosseria que vivemos no dia a dia. Os insultos que ouvimos constantemente não só de desconhecidos, mas também de pessoas próximas e queridas, que num rasgo de falta de respeito, de carinho ou simplesmente de consideração, te agride e te magoa, sem dó nem piedade. 
Tem que desrespeitar...
Um país que, não importa o grau de instrução, a gentileza ainda tem que ser trabalhada. Porque já dizia o poeta: gentileza gera gentileza. Infelizmente, em alguns momentos, “apagaram tudo, pitaram tudo de cinza...”.

Sigamos!

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Pro dia se pôr feliz!

por katia maia

Este blog esteve numa tarde domingo, com o sol ainda brilhando, umaluza maravilhosa e num clima mega acolhedor, para presenciar o rock em estado puro no centro de Brasília. A edição do Nivea Viva Rock foi um presente para os brasilienses. Na cidade celeiro do rock anos 1980, Nando Reis, Paula Toller, Herbet Viana e a atriz Marjorie Estiano como convidada especial.

Um verdadeiro passeio pelo rock, começando por Cely Campelo! Para quem viveu os tempos de ouro do rock em Brasília como eu, foi um revival de primeira linha. Os artista convidados, claro, deram um toque a mais nas canções. 

Que trio! Marjorie, Nando e Paula. Foto: Felipe Panfili

Com os óculos a postos, enfrentamos o segundo sol, e vibramos pro dia nascer feliz porque sempre imaginamos que não foi tempo perdido e apesar de temos sidos todos ovelha negra, queríamos mesmo era nos mudar para uma sonífera ilha e imaginar até quando esperar, enquanto nos sentávamos a dois passos do paraíso. Porque rock é isso! É a nossa vida.

Se as meninas do Leblon não olham mais pra mim!: Paralamas!!! Foto: Felipe Panfili
Nivea Viva Rock embalou mais de 150 mil pessoas (segundo os organizadores) e durante 2h40 fez o brasiliense vibrar. Vi crianças, adultos e a geração 1980, todos juntos cantando as letras e cada um se apropriando do time e da energia que rolou.

A atriz Marjorie substituiu muito bem a cantora Pitty, que não veio por recomendações médicas e cantou ao lado de Nando Reis e Paula Toller com maestria. Milton Guedes, para mim foi um molho a mais no espetáculo. Particularmente, sou fã dele, desde a época dos bares em bar de Brasília. 
 
Milton Guedes e Paula Toller. Foto: Felipe Panfili

O final grandioso trouxe todos os artistas  ao palco e juntos cantaram  O último romântico (Lulu Santos), Pro dia nascer feliz (Barão Vermelho), É preciso saber viver (Roberto e Erasmo) e Agora só falta você (Rita Lee).


O cair do dia, numa tarde de rock! 
 
Rock para todas as idades!
A nota triste da história foi o depois. O parque da cidade ficou coberto de lixo e entulho. Infelizmente, não temos ainda uma população consciente de que sujar área pública é sujar a nossa própria casa. Entramos em contato com a organização do evento  que esclareceu, em nota,  que foi firmado um acordo entre a produção do evento NIVEA VIVA Rock Brasil e os órgãos públicos do Distrito Federal,  e "ficou sob responsabilidade da SLU (Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal) executar a limpeza do Parque da Cidade após a conclusão do show". 

A nota esclarece ainda que "a organização do projeto está somando esforços com o Governo para a retirada total dos detritos no local onde o evento foi realizado, assim como no seu entorno”.

Infelizmente, depois da diversão, a decepção!

Agora, venhamos e convenhamos, tudo isso é uma questão de cultura! Antes do evento começar, a organização pediu ao público para  não jogar lixo no chão e, segundo eles, foram distribuídas muitas lixeiras são  para evitar sujeira no local.Infelizmente, não temos ainda a cultura de que o público é nosso e não do governo. Quando sujamos nossas ruas e espaços públicos , estamos sujando nossas casas, nossa cidade, nossos canto.





sexta-feira, 3 de junho de 2016

Domingo é dia de rock bebê!

Depois de Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza e Salvador,  
chega a Brasília o Nivea Viva rock   

por katia maia 
Já virou tradição em Brasília e o deste ano eu não perco nem! O Nivea Viva celebra, agora no domingo, o Rock. E não há lugar melhor para celebrar o Rock do que em Brasília. Assim, você que viveu a geração do rock aqui na capital, você que não viveu, mas curte, você que não curte, mas conhece e você que não conhece, deve bloquear a agenda e, domingo, às 17h, marcar presença na Praça das Fontes do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek

Este ano, o projeto NIVEA VIVA entrou no espírito do rock e reúne ícones do gênero que há 60 anos contagia o país. No espetáculo NIVEA VIVA Rock Brasil,  nada mais nada menos do que Nando Reis, Paula Toller e os Paralamas do Sucesso se juntam a uma super banda formada por Dado Villa-Lobos (guitarrista da banda Legião Urbana), Maurício Barros (tecladista do grupo Barão Vermelho), Rodrigo Suricato (voz, guitarra e violão da banda Suricato, uma das revelações recentes do rock brasileiro) e Milton Guedes (gaitista e saxofonista que também integrou a banda de Lulu Santos).

A proposta é de fazer uma antologia do gênero. O show foi todo arquitetado pela diretora geral Monique Gardenberg e a direção musical leva a assinatura de Liminha – um dos mais importantes e atuantes produtores de discos de rock do Brasil ao longo das últimas décadas e baixista de uma das formações dos Mutantes.

Liminha, inclusive, assume o instrumento na turnê, que conta ainda com a participação da cantora e atriz Marjorie Estiano como convidada especial. A cantora Pitty, que fazia parte do elenco do projeto, está grávida e deverá manter repouso seguindo recomendação médica. Por conta disso, não participará das apresentações.

Quando passou por Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife, Fortaleza e Salvador, sempre em apresentações gratuitas e ao ar livre o público estimado alcançou mais de 100 mil pessoas, chegando a 150 mil em Fortaleza.

Em Brasília, o  espetáculo terá ainda transmissão ao vivo pelo canal Multishow. Daqui, o show segue para São Paulo.  “Vamos apresentar um tributo a um gênero enraizado na cultura do país. O rock brasileiro é único e autêntico, capaz de transitar facilmente por todas as gerações por meio de um show com um repertório incrível, um presente da NIVEA para todas as famílias do Brasil“, revela Tatiana Ponce, diretora de marketing da NIVEA BRASIL. 

O roteiro do show foi criado pelo jornalista Hugo Sukman e segue uma ordem cronológica, começando pelo repertório de Celly Campello (1942 – 2003), cantora paulista que alcançou picos de popularidade entre 1958 e 1960, primeira estrela do então nascente universo pop brasileiro.

“O repertório passa também pela Jovem Guarda, Mutantes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Rita Lee, Raul Seixas, a geração de 1980, as bandas dos anos 1990 (Raimundos, Nação Zumbi, Charlie Brown Jr.), Los Hermanos e vai até os anos 2000”, lista Monique Gardenberg.

“Alguns arranjos são surpreendentes, porque é sempre bacana surpreender a plateia. Mas deixei várias músicas com a cara original, porque o público gosta de ouvir as músicas nos shows do jeito que elas são”, explica Liminha.



Serviço:

BRASÍLIA
5 de junho (domingo), às 17h
Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek
Praça das Fontes
Asa Sul de Brasília – estacionamento 9 – acesso 906/7 Sul – Brasília – DF

SÃO PAULO (próximo destino)
26 de junho (domingo), às 16h30
Praça Heróis da FEB
Av. Santos Dumont – Santana – São Paulo – SP

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Pausa para refrescar!

Jolie: a mais nova opção refrescante de Brasília
por katia maia

Entre uma viagem e outra, este blog se dedica a encontrar lugares pitorescos na Capital do país e a mais nova descoberta (nossa) é uma sorveteria que recém inaugurou na Asa Norte. A Jolie! E como diz o próprio nome, é pura alegria.

Uma sorveteria repleta de sabores e gostosuras para deixar qualquer um feliz da vida. São (nada mais nada menos) que 60 sabores de sorvetes e 55 de picolés. Uma variedade que atende a todos os gostos. Tem até sorvete sem lactose e zero açúcar. Assim dá para levar todos os amigos até os intolerantes- à lactose, claro!

Outra coisa da categoria gostosura da Jolie, são os brownies e coockies. Ah, tem açaí, também!

Très Deliceux!
!
Espaço amplo e muitas opções de sabores maravilhosos


Com o calorão que se avizinha, pois, verão ou inverno, Brasília já mostrou que o calor é uma constante, sugiro uma passadinha na Jolie para se refrescar. Impossível é comer uma taça apenas.

O esquema da sorveteria é self service, portanto, não há limites para o saborear os deliciosos sorvetes. E quem preza por sorvetes mais tradicionais (esta que lhes escreve se encaixa nesse perfil, confesso) a Jolie oferece as opções  ´vintage´ banana split e milkshake.

O parquinho fica bem em frente

Para quem procurava um canto para se refrescar e levar a criançada para gastar muita energia, a Jolie, também pensou nos papais e mamães de plantão. Mega bem localizada, a sorveteria tem um parquinho de diversão e pula pula para as crianças bem em frente. Dá para ficar tomando o sorvete de olho nos pequenos.

Serviço:
A Jolie abre todos os dias – chova ou faça sol – das 11h às 22h.

Onde fica: na CLN 407 bloco D  loja 34.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Lumière, caméra, Action ! Vai começar!!!

De 8 a 22 de junho 50 cidades brasileiras receberão o FEstival Varilux de Cinema Francês/ 2015. Agende-se!


Filme premiado em Cannes, longa protagonizado por vencedor de Oscar e produção com os atores mais admirados da França. Esses são alguns dos pontos altos da edição 2016 do Festival Varilux de Cinema Francês. Neste ano, o festival ganhará uma semana a mais de exibição em relação à edição anterior – ficará em cartaz de 8 a 22 de junho em 50 cidades brasileiras. Ao todo, a programação contará com 15 filmes inéditos e um grande clássico do cinema francês.

As capitais - São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, Brasilia, Goiânia, Belo Horizonte,Salvador, Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Fortaleza, Natal, Belém - estão no roteiro.
 
O premiado ator francês Omar Sy, que ficou conhecido e admirado mundialmente por sua atuação em “Intocáveis”, poderá ser visto novamente, agora em “Chocolate”, interpretando o primeiro artista circense negro na França da Belle Époque, no filme de Roschdy Zem, que virá ao país para apresentar o longa. O festival exibirá também o filme, seleção oficial do Festival de Cannes 2015, “Meu Rei”, de Maïwenn, drama com as estrelas Vincent Cassel e Emmanuelle Bercot, premiada com a Palma de Ouro de melhor atriz. E o ator vencedor do Oscar Jean Dujardin volta às telonas em “Um Amor à Altura”, comédia romântica de Laurent Tirard. Na produção, Dujardin ajudará a personagem de Virginie Efira a encontrar seu telefone celular perdido e essa história tomará um rumo inesperado. A consagrada atriz belga, que esteve recentemente em Cannes divulgando dois filmes, também confirmou presença no Brasil.  

Ao diretor Roschdy Zem e à atriz Virginie Efira, se junta o diretor Philippe Le Guay (Pedalando com Molière), que traz a comédia “Flórida”, com Sandrine Kiberlain e Jean Rochefort, dois ícones de gerações diferentes do cinema francês, inspiração para o cartaz dessa edição do festival. A jovem e premiada atriz Lou de Laâge (Respire), que interpreta uma médica francesa da Cruz Vermelha atendendo sobreviventes da Segunda Guerra até chegar a um convento Beneditino onde freiras estão prestes a dar à luz, no drama histórico “Agnus Dei”, de Anne Fontaine, o badalado e também premiado ator Vincent Lacoste (Hipocrátes, Diário de uma Camareira), protagonista ao lado da atriz Julie Delpy, da comédia, “Lolo, o Filho da Minha Namorada”, dirigida pela própria atriz, e o jovem Finnegan Oldfield  do drama  “Os Cowboys”, de Thomas Bidegain, em que vive Kid, o irmão que acompanha a saga de seu pai em busca da sua filha adolescente fugida de casa, e com suspeita de ter se convertido ao Islã, completam a delegação francesa que participará de apresentações e debates nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Dentro do diversificado leque de produções francesas, estão ainda na programação a premiada animação “Abril e o Mundo Extraordinário”, de Franck Ekinci e Christian Desmares, vencedor do prêmio Cristal no Festival de Annecy; “O Novato”, do jovem diretor e roteirista Rudi Rosenberg, que com humor e ironia foca no universo adolescente baseado em suas próprias vivências; “A Corte”, comédia dramática de Christian Vincent, sobre um juiz durão que acaba amolecendo ao se deparar durante um julgamento com uma jurada por quem tinha sido apaixonado anos antes e o drama “Um Belo Verão”, de Catherine Corsini, que aborda as questões em torno da liberdade sexual e feminismo na Paris da década de 70.

Completam a lista de filmes, o longa “Marguerite”, de Xavier Giannoli, com Catherine Frot, premiada com o Cesar 2016 da Melhor Atriz, baseado na história da rica e excêntrica americana Florence Foster Jenkins que não desistiu de cantar em público apesar de não ter talento algum. O drama de guerra, “Viva a França!”, de Christian Carion, que se passa numa pequena cidade ao norte da França nos anos 40; “La Vanité”, comédia dramática de Lionel Baier com a atriz espanhola Carmen Maura sobre um velho arquiteto que recorre a uma associação de auxílio ao suicídio, e “Um Doce Refúgio”, de Bruno Podalydes, que, além de escrever e dirigir, ainda atua no papel principal da comédia.

Como já é esperado pelo público, o festival exibirá ainda um grande clássico francês. O escolhido deste ano é o filme “Um Homem e uma Mulher”, de Claude Lelouch, em homenagem ao seu 50º aniversario de lançamento. O romance com Anouk Aimée e Jean Trintignant foi o vencedor da Palma de Ouro em 1966 e também do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e roteiro original no ano seguinte.  

O festival manterá a tradição e promoverá atividades paralelas, desta vez com novidades: pela primeira vez será realizada a “Oficina de Crítica Cinematográfica”, voltada para profissionais mais experientes ou com menos tempo de mercado, que será ministrada no Rio de Janeiro pelo renomado crítico francês Jean-Michel Frodon, ex-diretor da redação da prestigiada revista “Cahiers du Cinéma”.

A edição 2016 também realizará pelo quinto ano a oficina franco-brasileira de roteiros audiovisuais no Rio de Janeiro, que desta vez será dividida em três temas – roteiros para TV, cinema e comédia e, além disso, ganha uma edição no Recife, na modalidade formatos para televisão. Com coordenação de François Sauvagnargues, especialista de ficção e diretor geral do Festival International de Programmes Audiovisuels - FIPA de Biarritz, França, o objetivo da oficina é qualificar o trabalho desenvolvido por roteiristas brasileiros profissionais através do intercâmbio com renomados roteiristas franceses. 

A oficina do Rio conta com o patrocínio da RioFilme, e apoio da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão – ABPITV, do Instituto de Conteúdos Audiovisuais Brasileiros – ICAB, e do Conservatório Europeu de Escrita Audiovisual. No Recife, a iniciativa conta com o apoio do Instituto Francês do Brasil, da Aliança Francesa de Recife, da Portomídia/Porto Digital, do Centro Audiovisual Norte Nordeste - CANNE e da Secretaria de Cultura do Estado de PE.

Para o incentivo à formação de novos públicos, ao todo, 20 cidades receberão as sessões educativas do Festival Varilux. E, como de costume, o evento terá sessões de democratização em espaços alternativos do Rio, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte.

Para o diretor da Bonfilm e do Festival, Christian Boudier, há muito que comemorar. A edição 2016 do festival iguala o recorde de cidades – 50, ao todo -, mas dobra a duração do evento. “O Festival Varilux já se consolidou como um dos principais eventos incentivador e difusor da cultura francesa no Brasil. O público já reconhece a sua importância e, mais do que isso, espera ansiosamente pela realização do festival. Por isso, ganhar uma semana a mais de exibição é um presente para nós, realizadores, e principalmente, para o fã do bom cinema francês”, comemora.   

Maurício Confar, Diretor de Marketing da Essilor/Varilux – patrocinadora desde a primeira edição do Festival Varilux de Cinema Francês há 13 anos, engrossa o coro. “Essa parceria com a Bonfilm tem como objetivo principal levar cultura à população de diversas regiões do país e não somente dos grandes centros urbanos. Além disso, a iniciativa está ligada à questão do olhar humano, que é o nosso foco, além de promover a interação entre as culturas brasileira e francesa”, diz.



   
LISTA DE FILMES
 
Abril e o mundo extraordinário
Avril et le monde truqué
De Franck Ekinci, Christian Desmares
Com Marion Cotillard, Philippe Katerine, Jean Rochefort
2015 – Animação/Aventura - 1h 45min
Distribuição no Brasil: Bonfilm
Sinopse
1941. O mundo está radicalmente diferente daquele descrito e conhecido pela História. Napoleão V reina na França, onde, assim como no resto do mundo, há 70 anos os cientistas estão desaparecendo misteriosamente. O universo francês é mergulhado numa era pré-industrial, centrada no uso do carvão, onde não há rádio, televisão, eletricidade, aviação, motor à combustão. É nesse mundo estranho que a jovem, Abril, parte em busca de seus pais, cientistas desaparecidos, em companhia de Darwin, seu gato falante, e de Julius, jovem vigarista das ruas. Esse trio deverá enfrentar os perigos e os mistérios desse mundo extraordinário. Quem sequestrou os cientistas no passado? Que finalidade sinistra há por trás desse desaparecimento?
Agnus Dei
Les Innocentes
De Anne Fontaine
Com Lou de Laâge, Vincent Macaigne, Agata Buzek
2016 – Drama histórico – 1h 50min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
Polônia, dezembro de 1945. Mathilde Beaulieu, uma jovem médica da Cruz Vermelha encarregada de tratar sobreviventes franceses antes de serem repatriados, é chamada para socorrer uma freira polonesa. Relutante no início, concorda em ir ao convento, onde trinta freiras Beneditinas vivem afastadas do mundo exterior. Mathilde descobre que várias freiras, que engravidaram em circunstâncias dramáticas, estão a ponto de dar à luz. Aos poucos, surge entre a ateia e racionalista Mathilde e as freiras, ligadas às regras de sua vocação religiosa, relações complexas que aguçadas pelo perigo as tornarão cúmplices para um novo encontro com suas próprias vidas
Um amor à altura
Un homme à la hauteur
De Laurent Tirard
Com Jean Dujardin, Virginie Efira, Cédric Kahn
2016 – Comédia romântica– 1h38
Distribuição no Brasil: California Filmes
Sinopse
Diane é uma bela mulher com muito senso de humor e personalidade forte. Advogada bem sucedida, está recém-separada de um casamento que já não a satisfazia, e agora está livre para buscar a felicidade e um novo amor. Como uma ação do acaso, recebe um telefonema de Alexandre, um charmoso arquiteto que ela não conhece, mas que encontrou o telefone celular que ela havia perdido. Um simples encontro para a devolução do telefone, toma um rumo inesperado.
Um belo verão
La belle saison
De Catherine Corsini
Com Cécile de France, Izïa Higelin, Noémie Lvovsky
2015 – Drama – 1h 45mi
Distribuição no Brasil: Pandora Filmes
Sinopse
Em 1971 a França está atravessando a época da liberação sexual e o ápice do feminismo. Neste contexto, Delphine abandona sua família no interior do país para descobrir a vida intensa em Paris. Chegando à capital, conhece Carole, que vive com o namorado Manuel. Delphine e Carole se aproximam e iniciam uma história de amor.
Chocolate
Chocolat
De Roschdy Zem
Com Thibault de Montalembert, Omar Sy, James Thiérrée
2016 – Biografia/Drama – 1h50
Distribuição no Brasil: California Filmes
Sinopse
Do circo ao teatro, do anonimato à glória, a incrível trajetória do palhaço Chocolat, primeiro artista circense negro da França. O duo inédito formado com Footit, alcança um imenso sucesso popular na Paris da Belle époque antes que a fama, o dinheiro fácil, o jogo e as discriminações desgastem a amizade da dupla e a carreira de Chocolat. O filme retrata a história deste extraordinário artista
A Corte
L’hermine
De Christian Vincent
Com Fabrice Luchini, Sidse Babett Knudsen, Eva Lallier
2015 – Comédia dramática - 1h 38min
Distribuição no Brasil: Califórnia
Sinopse
Michel Racine é um temido juiz, presidente de tribunal. Tão rigoroso consigo mesmo quanto com os outros. É conhecido como “o Presidente com dois dígitos”, nome que lhe foi atribuído por suas sentenças serem sempre superiores a dez anos. Tudo muda no dia em que Racine encontra Ditte Lorensen-Coteret. Ela faz parte do júri popular que deverá julgar um homem acusado de homicídio. Há anos atrás, Racine amava essa mulher. Quase em segredo. Talvez, Ditte, tenha sido a única mulher que ele já amou.
Os cowboys
Les cowboys
De Thomas Bidegain
Com François Damiens, Finnegan Oldfield, Agathe Dronne
2015 – Drama – 1h 44min
Distribuição no Brasil: Bonfilm
Sinopse
Uma extensa planície, um encontro country western em algum lugar do leste da França. Alain é um dos pilares dessa comunidade. Ele dança com Kelly, sua filha de 16 anos, sob o olhar terno da esposa e do caçula Kid. Mas nesse dia, Kelly desaparece e a vida da família desmorona. Alain não vai desistir de procurá-la, perdendo o amor da família e tudo que possuía. Ele é lançado na violência do mundo. Um universo em plena mudança onde seu único apoio será seu filho Kid, que sacrifica sua juventude e embarca com o pai nessa busca sem fim.
Um doce refúgio
Comme un avion
De Bruno Podalydès
Com Bruno Podalydès, Agnès Jaoui, Sandrine Kiberlain
2015 – Comédia – 1h 45min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
Michel é um artista gráfico que trabalha com seu irmão Remi, e sempre foi fascinado pela ideia de um dia pilotar um avião. Quando descobre que a engenharia de um caiaque é muito parecida com a de uma aeronave, compra um, sem que sua esposa saiba.
Flórida
Floride
De Philippe Le Guay
Com Jean Rochefort, Sandrine Kiberlain, Anamaria Marinca
2015 – Comédia dramática – 1h 50min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
Aos 80 anos, Claude Lherminier ainda conserva sua imponência, apesar dos frequentes ataques de confusão e esquecimentos. Condição que ele se recusa a admitir. Carole, sua filha mais velha, trava uma batalha diária e desgastante para cuidar do pai. E, por um capricho, Claude decide viajar à Flórida, deixando no ar o motivo dessa viagem repentina.
Lolo, o filho da minha namorada
Lolo
De Julie Delpy
Com Julie Delpy, Dany Boom, Vincent Lacoste
2015 – Comédia – 1h 37min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
De férias no sul da França, Violette, sofisticada parisiense quarentona que trabalha no mundo da moda, encontra Jean-René, um modesto técnico de informática recém-divorciado. Após anos de solidão, Violette deixa-se seduzir. René junta-se a ela em Paris, tentando se adaptar ao ambiente parisiense no qual ela vive. Mas não conta com a presença de Lolo, filhinho querido de Violette, disposto a tudo para destruir o casal e conservar seu lugar de favorito.
Meu rei
Mon roi
De Maïwenn
Com Vincent Cassel, Emmanuelle Bercot, Louis Garrel
2015 – Drama – 2h 08min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
Depois de um grave ferimento no joelho, Tony se muda para o sudoeste francês para realizar um longo tratamento capaz de ajudá-la a caminhar normalmente. Mas esta não é a sua maior dor: ela ainda amarga um relacionamento infeliz com Georgio, homem violento e possessivo com quem tem um filho. Aos poucos Tony consegue se recompor e aprende a se defender.
Marguerite
Marguerite
De Xavier Giannoli
Com Catherine Frot, André Marcon, Michel Fau
2015 – Comédia dramática – 2h 07min
Distribuição no Brasil: Mares Filmes
Sinopse
Nos anos 1920, em Paris, Marguerite Dumont é uma mulher rica, apaixonada por música e ópera. Há anos canta regularmente para seu círculo de conhecidos. Marguerite é muito desafinada, mas isso nunca ninguém lhe disse. Seu marido e seus amigos mais próximos sempre mantiveram suas ilusões. Tudo se complica no dia em que Marguerite põe na cabeça que vai cantar diante de um público de verdade na Ópera Nacional de Paris.
O novato
Le nouveau
De Rudi Rosenberg
Com Max Boublil, Raphael Ghrenassia, Joshua Raccah
2015 – Comédia– 1h 21min
Distribuição no Brasil: Bonfilm
Sinopse
A primeira semana de Benoit em seu novo colégio não acontece como ele esperava. Ele é maltratado pelo grupo de Charles, os garotos populares, e os únicos alunos a recebê-lo com bondade são os mais cafonas. Felizmente, há Johanna, uma linda sueca com quem Benoit faz amizade e se apaixona. Infelizmente, ela vai aos poucos se afastando de Benoit para integrar o grupo de Charles. Seguindo os conselhos do tio, Benoit organiza uma festa e convida toda sua turma. É a ocasião de ser tornar popular e reconquistar Johanna.
La vanité
La vanité
De Lionel Baier
Com Patrick Lapp, Carmen Maura, Ivan Georgiev
2015 – Comédia dramática - 1h 15min
Distribuição no Brasil: Supo Mungam
Sinopse
David Miller decide dar fim a sua vida. Para isso, esse velho arquiteto doente, recorre a uma associação de suicídio assistido. Mas Espe, a atendente da clínica, não parece estar muito a par do procedimento, enquanto David Miller tenta de todo jeito convencer Tréplev, prostituto russo do quarto ao lado, a ser testemunha do seu último suspiro, como a lei exige na Suíça. Durante uma noite, os três vão descobrir que a afeição pelos outros e talvez o amor sejam os únicos sentimentos que realmente persistem.
Viva a França!
En mai fais ce qu’il te plait
De Christian Carion
Com August Diehl, Olivier Gourmet, Mathilde Seigner
2015 – Drama histórico – 1h 54min
Distribuição no Brasil: Fenix Distribuidora
Sinopse
Em maio de 1940, as tropas alemãs estão prontas para invadir a França. Assustados com o progresso do inimigo, o povo de uma pequena vila decide desafiar as ordens do governo, fugir e desbravar rotas desconhecidas para se esconder da ameaça estrangeiras.
Homenagem ao 50º aniversário de lançamento do filme

Um homem e uma mulher (Une homme et une femme)
De Claude Lelouch
1966 - Vencedor Palma de Ouro - Festival de Cannes e Oscar – Melhor filme estrangeiro e Melhor roteiro original
Um homem e uma mulher
Une homme et une femme
De Claude Lelouch
Com Jean-Louis Trintignant, Anouk Aimée, Pierre Barouh
1966 – Romance – 1h40
Sinopse
Durante uma tarde de domingo, visitando seus filhos no colégio interno, o piloto de corridas Jean-Louis Duroc e Anne Gauthier se encontram. Assim continua nos próximos fins de semana, eles vão conhecendo um ao outro e logo descobrem que ambos são viúvos, perderam seus parceiros recentemente. Depois de uma grande amizade, eles começam um relacionamento, mas a memória dos amores perdidos ainda é muito forte.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Partiu, Porto seguro!!!

O sol nasce. Destino: Porto Seguro!
por katia maia

Como havia prometido no Facebook, este blog esteve em viagem pelas terras da Bahia, visitando Porto Seguro. A partir de hoje, publico uma série de matérias sobre a nossa passagem pela cidade e nossas impressões sobre comida, hospitalidade, atendimento, opções de lazer e, claro, sobre a baianidade.

Então, sem mais delongas, vamos ao que interessa... Gostaria apenas de pontuar que fazia mais de 20 anos que eu não pisava em Porto Seguro e  devo confessar que a cidade litorânea não estava nos meus planos até outubro do ano passado quando um evento que aconteceria agora em maio me levou de volta à terrinha.

Chegamos em Porto Seguro num sábado pela manhã chuvoso. O tempo estava nublado e, venhamos e convenhamos, chegar em uma cidade de praia, vinda de outra que não tem praia e chegar num dia de chuva é quase um banho de água fria. Mas, tudo bem, vamos lá. Praia é praia e só o mormaço já é capaz de nos aquecer e dourar a pele.

Nublado! Oh, NO! 
Ficamos no Hotel Tropical praia. Localizado na avenida beirar mar. Quando fiz a reserva, pela Bancorbrás, fiz questão de procurar um hotel próximo á praia para que não precisasse pegar condução para ir até o mar e, mais, para que pudesse acordar com o cheiro, o som e a brisa do mar.

Fachada do Tropical Oceano Praia. Fonte: Internet
Nem o cheiro, nem a brisa, o som e muito menos a paisagem. Porto Seguro está com sua orla tomada de barracas enormes – uns verdadeiros centros de lazer construídos tampando em boa parte a beleza natural. Bem diferente do que eu vi há vinte anos. Esse foi o primeiro impacto negativo. Fiquei frustrada.

Barracas de Paria que mais parecem um centro de lazer. Fonte: Internet

Ao chegar ao hotel. Num sábado, 11h da manhã, apenas um atendente se virava para dar conta dos hospedes. Chegamos, pedimos para fazer o checkin e o atendente demorou uns 40 minutos para fazê-lo. Atendeu umas quatro pessoas na nossa frente e quando eu fui reclamar, desculpou-se:

- Estou sozinho, me desculpe. Se a senhora quiser sentar-se um pouco e esperar. O quarto também não está pronto ainda.

Reclamei que estávamos em um sábado e era de se esperar que houvesse mais gente atendendo. Ele desculpou-se novamente. Ok. Assenti.

Escadarias para o andar superior.

Ao sermos atendidos, chave do quarto na mão, percebi que estava num quarto no andar de cima. Pedi alguém para me ajudar com as malas – estávamos levando equipamento de mergulho o que significa bastante peso.

Novamente, desculpou-se:

- Me desculpe novamente, mas não temos ninguém para ajudá-la.

Ok. Assenti novamente.

Piscinas

 Ao chegar no quarto, bem espaçoso, mas com alguns detalhes que não condizem com a estrutura grandiosa que o Hotel nos passa ao chegarmos. Os colchões das camas não eram necessariamente novos e confortáveis e a televisão, uma peça de museu – ainda de tubo! Nem sabia que ainda existiam. Ah, e na recepção, o atendente me disse que teria que assinar um papel me comprometendo a pagar R$ 100,00 caso um dos controles (ou os dois) – do ar condicionado e da TV d Tubo – desaparecesse.

Ok. Assenti. 

Panorâmica do dia nublado

quinta-feira, 12 de maio de 2016

O lixo que se deixa para trás

por Katia Maia

Quem passa pela via N2, que dá acesso ao Palácio do Planalto, pelos fundos, não vai perceber, mas basta uma olhadinha mais atenta para ver que atrás de um tapume verde, toneladas de sacos de lixo guardam toneladas de papel triturado pelos funcionários dos 3º e 4º andares da presidência da República.
Contêineres abarrotados de sacos de papel triturado. Que tipo de papel? Não dá mais para saber. Cada um tire as suas próprias conclusões. Aqui, relato, apenas, o fato.

“O trabalho nesta quarta-feira foi intenso aqui no Planalto, foi tanto papel triturado que dez máquinas trituradoras se quebraram. Não aguentaram o tranco”, disse um amigo que trabalha no local.

O fato é que dezenas de sacos de lixo atochados de papel triturado estão nos fundos do Palácio do Planalto à espera do caminhão de lixo para levar para uma cooperativa de reciclagem. Resta saber se há algo a reciclar. “Já passei por outras transições de governos e nunca vi isso. Não é normal”, lamentou meu amigo.