quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pratiquer le français et l'amitié


#friendselfie
On commence ce texte en français parce que hier, j'ai eu l'occasion de pratiquer la langue et, encore mieux, avec un ami très cher. Ceux qui, n’importe pas combien de temps sans voir, l'affection, le respect et les histoires continuent à faire de nous de très bons amis.

O filme: Itinéraires
E foi assim que marcamos de assistir a um filme na Embaixada da França e depois ir tomar um café para colocar o papo em dia. Escolhi o filme da embaixada por acaso e descobri que a minha amiga também tinha estudado francês  por bastante tempo. Pronto, estava feita a conexão.

O filme escolhido: Itinéraires. Um filme de Christophe Otzenberger, de 2006. Infelizmente, não conseguimos ver o filme todo. Um problema no projetor impediu a projeção até o fim. Embora, tenhamos visto parte dele e gostado muito. A embaixada informou que irá remarcar a projeção do filme. Aguardemos.

O Quadro!
Até lá, nada melhor do que bater um bom papo e na linha de conhecer novos lugares em Brasília, resolvemos ir a uma Casa de Chá que me foi indicada por outra amiga (essa, uma amizade feita por meio da tecnologia. Conheci a Márcia Chang por meio da internet, quando ela me procurou para participar do meu site de brechó).

O lugar: Vincent!
O lugar indicado: Vincent, na 409 norte. Um lugar super fofura, meio escondidinho, fica virado para a quadra, mas cheio de charme. Bom, tinha tudo para dar certo e ser uma noite hiper agradável. O cardápio traz opções bem legais de quiche (eu escolhi um quiche de alho porró com salada) e para beber um chá mate gelado com gengibre e citrus (uma delícia!). A noite estava agradável e a bebida refrescante caiu bem.

O nome da Casa de Chá é uma homenagem ao pintor Vincent Van Gogh, artista que a proprietária do estabelecimento adora. Tem até um quadro lá que foi pintado par ela e que foi feito por um processo mediúnico. O traço é perfeito! Lindo.

A amiga: Angélica
A Angélica é uma amiga querida do tempo de faculdade. Sabe aquelas amizades que a gente passa anos sem se ver nem se falar, mas quando se reencontra percebe que o papo flui como se a gente tivesse se visto ontem? Pois é, nos divertimos a beça.  Falamos de família, filhos, vida e rimos muito. Afinal, é isso que vale na vida: saber que tem pessoas legais que, apesar da distancia, sabemos, fica feliz com a nossa presença.

Do encontro, fica a dica: Vincent, casa de chá, na 409 sul. E se eu puder dar outra dica: reencontrar velhas e verdadeiras amizades faz muito bem para a gente. O melhor de tudo é estar com pessoas que a gente sabe que, n’importe pas combien de temps sans voir, l'amitié
O menu: quiche
com chá gelado
continue. 

Marcamos, então de pratiquer notre français et profiter de rencontrer à nouveau pour pratiquer notre amitié.

Vincent Chás e CafésSHCN 409, Bloco A – Asa NorteBrasília/DFTel: (61) 3201-1214

quinta-feira, 3 de abril de 2014

A Hora Zero para começar

Filme de Pascal Thomas

Então, tem pequenos momentos que a gente tem que investir e sair um pouco de nossa zona de conforto para que possam sair do imaginário para o real. 

A vida tem andado muito corrida, não temos mais tempo para nada, falta disposição, não conseguimos um minuto sequer de lazer. Essa ladainha é recorrente nesse mundo em que o tempo deu uma acelerada e suprimiu de alguma forma bons bocados do nosso dia.

Mas, olha, acho até que a culpa não é somente do tempo, do eixo da terra que está mudando, do segundo a menos que perdemos a cada ano, da corredeira de tarefas que nos predispomos a realizar num único segundo e nos atropela... 

Sim, porque não dá simplesmente para digitar esse texto. Temos que estar com outras páginas abertas no computador, o celular do lado online e a mente (des)focada em mil e uma outras obrigações que não podem esperar de forma alguma e que, inexplicavelmente, terminam ficando sem solução e para o dia seguinte porque (adivinha?) não deu tempo!

Viu? Só no paragrafo anterior eu escrevi sobre mil coisas e (até) perdi o foco. É assim que acontece: tudo junto e misturado e ao mesmo tempo. E o resultado? Falta de Tempo!

Pois, estou declarando que vou ter que arrumar (ainda não sei como) um tempo para fazer o que mais falta na vida de todos nós hoje em dia: o prazer de não fazer nada ou, se fizer, investir em algo que não signifique obrigação, mas sim lazer e prazer!

Cena do Filme L'Heure Zero
Digo que já comecei. Todos os dias minha rotina é o retrato da canção: ela faz tudo sempre igual. Trabalho, almoço com os filhos, trabalho, casa , arrumar casa, cozinhar, ver um pouco de TV, ler, rezar, dormir. Todo o santo dia! AFF!!!

Então, ontem, piscou na tela do meu Facebook o convite: L’HeureZero, filme de Pascal Thomas será exibido na Embaixada da França, às 29 horas. O próprio nome já me inspirou. Afinal, eu precisava mesmo de uma Hora zero para dar o ponta pé inicial.

E assim aconteceu: saí do trabalho e me mandei para l’Ambassade de France, espaço Le Corbusier. Ainda me dei o luxo de pedir ao meu filho que tirou recentemente carteira de motorista, para me levar. Nem dirigir eu queria, pode? Um luxo só!

Filme baseado em Agatha Christie
Ele me deixou na Embaixada, eu entrei, me sentei e pacientemente esperei o flme começar. Nem o celular eu usei nessa espera. Providencialmente, estava com pouquíssima bateria. Fui, então, obrigada a ficar ali, focada na situação, vivendo o momento.

O filme começou! Uma hora e meia. Ali, dedicada a me sentir bem comigo mesma, reservar um tempo para o lazer e ainda treinar o meu francês! Parfait.








P.S. quando cheguei em casa, ao ligar a TV, no canal GNT, estava passando o programa Saia Justa e um dos temas que as meninas debatiam era, (guess!) FOCO! Falavam do livro de Daniel Goleman de mesmo nome. O livro trata justamente do tema: dedicar atenção a... Bom, quem acredita que nada é por acaso...  Fica a dica!