terça-feira, 6 de março de 2012

NET, nunca mais!

por katia maia

Talvez, eu penso, tudo o que um consumidor quer na vida é ser valorizado e isso, na cabeça de quem compra, assina ou aluga algum bem ou serviço, ‘means’ oferta, brindes e uma boa negociação.


Às vezes, a gente nem sai ganhando na compra ou assinatura e só descobre isso lá na frente, meses depois, mas aí a coisa já está feita e no fim das contas, nos resignamos.

A verdade é que eu sou muito fácil de ser seduzida - embora não seja consumista, vale destacar. Digo sempre (em tom de brincadeira, claro) que sou capaz de comprar um apartamento se os quadros vierem de brinde. Essa frase não é minha, é (acho) da Ivete Sangalo. E desde que eu ouvi essa frase, me identifiquei de cara já que adooooro um brinde, e adotei como uma máxima em minha vida.

Pois bem, estamos em uma fase em que o consumidor brasileiro está a fim de comprar com força e com vontade. Chego a dizer que há uma certa febre do consumo pairando no ar. Hoje mesmo, uma matéria em O Globo diz que, segundo analistas, o consumo interno foi o que segurou o crescimento da economia.

Ok, então vamos lá: empresas, por favor, tratem bem e cortejem o consumidor brasileiro!

Digo isso porque fiquei indignada com a NET. Durante anos, fui assinate do serviço Net. Já tive TV a cabo, telefone e internet. O meu último contrato com a dita cuja terminou há um ano e meio, quando me mudei para um flat onde já havia TV a cabo.

Pois bem, agora, de volta ao meu apartamento, voltei a procurar a NET para reatarmos o nosso caso. Foi aí que descobri que consta no meu prontuário uma pendência. Algo relativo a devolução de aparelhos.

Na minha ultima assinatura, houve um mal entendido na devolução dos equipamentos e eu não posso provar que os mesmos foram disponibilizados para a NET porque não tenho a ordem de serviço provando o fato.

Então... Ao entrar em contato novamente com a NET, fui informada que não poderia ser assinante até pagar pelos equipamentos. Foi quando eu informei que havia, sim, devolvido os mesmos.

A atendente respondeu:

- A senhora tem a ordem de serviço?

- Não, não tenho. Respondi

- Então senhora, nada feito.

- Como assim, sem negociação, sem uma possibilidade de chegarmos a um acordo?

- Não, ou a senhora paga ou nada feito.

- Mas, a NET não vai fazer nada para me ter de volta? Sou uma assinante antiga, assídua, pago em dia...

- Não senhora.

- Então, ta. Vou procurar a GVT.

- OK senhora, mas quero informar que o nosso departamento jurídico, de cobrança, vai entrar em contato para cobrar judicialmente os equipamentos.

Ainda senti uma pontinha de ameaça: do tipo: a senhora vai ter que pagar de qualquer forma então, levante as mãos para o céu e agradeça ter a NET para você.
- Ah, vai? Ok! Respondi e complementei: eu até posso vira a pagar pelo equipamento, mas a NET não me terá de volta como assinante.

Foi tudo o que pude dizer. Esse é todo o poder que temos como consumidor: cortar de vez aquele serviço de nossas vidas.Sei que não é muito. Mas é a parte que me cabe nesse latifundio.

Eu esperava, confesso, que houvesse uma tentativa, uma negociação, 'at least'. Os equipamentos foram (sim) entregues a NET e eu não tenho como provar que eles foram retiradosdo meu apartamento porque não tenho papel nenhum para provar. Possuo apenas um e-mail, marcando com a NET Serviços a data da retirada, que foi acertada para acontecer no meu endereço, onde eu deixaria os aparelhos na portaria. A partir daí, não tive mais notícia deles.

Não os tenho mais e a empresa nem quis fazer um acordo. Algo como uma troca, um abono por conta de um plano tal, com condições tais, com fidelidade tal... Nada!

Ela me dispensou como se fosse mais uma e como se milhares de outros estivessem esperando na linha para assinar os serviços deles. Que, na verdade, é o que acontece.

Bom, eu assumo o meu erro: não tenho nada para comprovar a devolução dos equipamentos. Mas tenho a consciência limpa de que foram entregues. Portanto, NET, vocês perderam uma mísera assinante e ganharam uma consumidora pronta para fazer publicidade negativa para sempre.

Se bem que isso é quanse uma redundância em se tratando de NET. Eu desafio alguém que seja assinante da mesma e nunca tenha se estressado com o serviço de atendimento ao cliente. É quase um 'brinde' incluso no contrato: não deixar o assinante 100% feliz.

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...