quarta-feira, 9 de novembro de 2016

A vitória do próprio umbigo.

Os Simpsons, retrato da família americana, já previam!
Os norte-americanos sendo norte-americanos. É simples assim. A vitória de Donald Trump para a presidência da maior potência do planeta nada mais é do que o genuíno sentimento americano de que o mundo é os Estados Unidos e sendo assim F**ck o resto que, para os USA citizens são exatamente isso: o resto.
No meio desta madrugada, perdi o sono e resolvi checar o placar do pleito nos EUA e fiquei chocada com o que vi. Trump estava largamente à frente de Hillary, contrariando as pesquisas de opinião que demonstraram claramente que precisam rever suas ferramentas de pesquisas. Perdi o sono!
Mas, qual a surpresa? Os norte-americanos sempre olharam para o próprio umbigo. Para eles, o mundo é uma ameaça que tenta invadir o território sagrado do sonho americano e prejudica a bom andamento da vidinha yankee que levam. Já fui aos Estados Unidos algumas vezes e em todas me senti mal por ser tratada como ‘chincana’. A única vez que me senti mais a vontade foi durante o boom de brasileiros consumindo na terra do Tio Sam.
Naquele momento, estávamos comprando a rodo e isso interessava a eles. Como era bom, gostavam da presença dos brasileiros em seus domínios. Assim como o próprio Trump gostou dos imigrantes para construir sua Trump Tower a um custo de salários baixíssimos.
Mas, o que mais me surpreendeu foi ver sonoras de populares negros, imigrantes e brasileiros declarando que votaram no Trump porque ele não é contra a imigração, mas á imigração ilegal. Pergunta: todos chegaram nos EUA legalmente?A intolerância venceu e assim será a toada dos EUA daqui para frente, com muros, radicalismos e fobias.

É, o 11/9 revela que o mundo avançou, viu, experimentou e globalização, ao mundo sem fronteiras e agora, como no túnel do tempo, retroage. Um país que teve Barack Obama como presidente por dois mandatos acaba com a vitoria de Trump! É a maior nação do mundo querendo construir muros para isolar o resto do mundo. São os norte-americanos olhando e votando no próprio umbigo. O que esperar? O mundo acabou? Fico com a frase do ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, que afirmou sobre a vitória de Trump: "O mundo não acabou mas ficará mais louco"