segunda-feira, 22 de março de 2010

À beira de um ataque ao voto feminino

Alana Rizzo
Correio Braziliense

Pré-candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) tem o desafio de conquistar as mulheres. Diferença nesse segmento na pesquisa CNI/Ibope é de 12 pontos percentuais em favor de Serra

Dilma Rousseff prepara ofensiva, mas tentará evitar um tom feminista

Pérolas e contas. Ministra e candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff é famosa pela habilidade com os números. Agora tenta mostrar intimidade também com o universo cor-de-rosa. Dilma insiste que pode ser mais feminina. Trocou os tons sóbrios pelas cores vivas. Personalizou discursos e reúne amigas – seja em blogs ou em almoços. Ainda assim, não conseguiu se aproximar das mulheres. Última pesquisa divulgada, a CNI/Ibope, mostra que a chefe da Casa Civil está a 12 pontos percentuais de diferença de seu adversário nas urnas, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), no conjunto das eleitoras. Ele tem 37% das intenções de voto contra 25% de Dilma. Integrantes da campanha da ministra articulam para os próximos meses ações para agradar às brasileiras e tirar, de uma vez por toda, a imagem de durona da ministra. “Mulheres olham a biografia de um candidato”, diz ao Correio o coordenador da campanha de Michelle Bachelet à Presidência do Chile, Ricardo Solari. (matéria completa no Correio Braziliense)