terça-feira, 23 de março de 2010

MULHERES À OBRA


(Mercado Aberto/ Folha)

Juan Quirós, presidente do Grupo Advento, testou. Colocou lado a lado azulejos assentados por mulheres e por homens. Sem saber quem tinha feito o trabalho, diretores foram unânimes em apontar o serviço elaborado por mãos femininas como o de melhor qualidade. "Elas são mais caprichosas e têm mais foco no trabalho", diz o empresário, que quer mais mulheres nas obras. Mesmo assim, é grande a resistência nas construtoras à mudança. "Nunca encontravam boas candidatas. Tive de selecionar pessoalmente alguém para o departamento de compras", lembra. No escritório central, o contingente feminino já chega a um quarto dos funcionários. Nos canteiros, porém, são apenas 25, número que começa a crescer, com a oferta de treinamento para as novatas.