terça-feira, 4 de maio de 2010

Luz vermelha acende para o Brasil!

katia maia
Lula sabe e, tenho certeza, acredita piamente que é 'o cara'. Ele tem, claro, o seu valor, conseguiu muita visibilidade para o Brasil, colocou o nosso país na agenda e no cenário internacionais como voz de destaque para muita coisa.

Mas, é preciso mais. Mais trabalho e menos discurso quando se fala de eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O Brasil foi e tem sido ousado. Assumir dois eventos do porte desses não é brincadeira. Mas, parece-me, é assim que o governo tem se comportado. Como numa brincadeira em que você aposta e acredita que, no final, tudo dá certo.
Dá. até dá. claro.

Acho que ninguém duvida que a copa de 2014 e que as Olimpíadas de 2016 vão acontecer aqui. O que a gente duvida é em que condiçoes. quer dizer, á custa de que preço?

O Brasil tem a estranha mania de achar que Deus é brasileiro e que no final vai ajudar. Sei não. Para que tudo dê certo é preciso planejmento e pelo que a gente pode ver e ler na matéria de O Estado de São Paulo, a Fifa já acendeu a luz vermelha para o Brasil. Já está preocupada com a desorganização que envolve o planejamento do evendo no país.

Sei não. 'O Cara' não resolverá tudo com um estalar de dedos e muito menos com o seu carisma. É preciso trabalho e dedicação do governo e, acima de tudo, pulso para enquadrar os estados que brigam pelas cidades-sede e fazem projetos megalomaníacos que depois ficarão impossívels de serem realizados.
///~..~\\\


de O Estado de São Paulo
O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, disse ontem que "a luz vermelha já se acendeu para o Brasil", em referência ao atraso do País na organização da Copa.

Entidade critica projetos e pela primeira vez indica publicamente que pode mudar sedes e excluir estádios

A Fifa fez ontem seu mais forte ataque contra os organizadores da Copa de 2014 e prepara terreno para mudanças de sede ou estádio escolhido para abrigar jogos do Mundial. Com base na vistoria que será feita pelo Comitê Organizador local, entre 5 e 20 de maio, nas 12 cidades que vão receber as partidas, a Fifa vai tomar providências. Uma delas é excluir o Morumbi. A outra, bem provável, é a substituição dos locais que não cumprirem o cronograma de obras.

Eliminadas no processo de seleção das sedes da Copa, Goiás e Belém correm por fora para ocupar o lugar de quem desagradar. O Estado apurou também que o projeto mais adiantado é o de Cuiabá. Ontem, em Johannesburgo, o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, abandonou a diplomacia, criticou os atrasos nas obras de estádios e alertou: o Brasil precisa fazer por merecer para organizar o Mundial e os Jogos Olímpicos de 2016.

A partir de amanhã, o Comitê Organizador vai iniciar a vistoria técnica dos estádios e também de avaliação do cronograma de obras em cada uma das 12 cidades, começando por São Paulo e terminando em Salvador. Com isso, a Fifa vai entrar até setembro numa etapa de ação, promovendo as alterações que considerar necessárias para tentar evitar um fiasco em 2014.

A entidade quer todos os estádios no Brasil prontos até 31 de dezembro de 2012, um ano e meio antes da Copa e seis meses antes da Copa das Confederações e não trabalha com a hipótese de redução de sede. "As pessoas questionaram muito a Copa na África, mas o Brasil está mostrando que é difícil fazer uma por lá também. Os brasileiros têm a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016, mas precisam fazer por merecer", alertou Valcke. (reportagem completa no Estado de São Paulo)