sábado, 31 de outubro de 2009

Depois de Judas... Jesus Cristo!

Chávez compara Lula a Jesus e prega permanência no poder
Da Folha de São Paulo

Venezuelano comemora aprovação preliminar de ingresso do país no Mercosul

Ao elogiar colega brasileiro, Chávez, no cargo desde 99, disse não entender por que alguém aprovado por 80% precisa deixar o governo

David Fernández/Efe

Lula e Hugo Chávez vistoriam lavoura de soja no Projeto Agrário Integral Socialista, em El Tigre, no Estado de Anzoategui

SIMONE IGLESIAS
ENVIADA ESPECIAL A EL TIGRE

A aprovação da entrada da Venezuela no Mercosul pela Comissão de Relações Exteriores do Senado fez com que o venezuelano Hugo Chávez comparasse ontem o presidente Lula a Jesus Cristo, por chegar ao seu país trazendo a informação.
Aproveitando o embalo da boa notícia, Chávez, no poder desde 1999, ainda sugeriu que o brasileiro deveria permanecer no cargo, questionando por que alguém que desfruta de mais de 80% de aprovação precisa deixar o governo.
"Lula veio como Cristo anunciando o Evangelho. Só faltou o cabelo comprido. O Evangelho significa boa nova", disse o presidente venezuelano, no poder desde fevereiro de 1999.
Chávez -que, no passado, já criticou o Senado pela demora em votar o ingresso do país no Mercosul- agradeceu os senadores brasileiros pela aprovação na comissão, ocorrida anteontem, e afirmou acreditar que o Paraguai em breve também aprovará a entrada.
No Brasil, a incorporação do país ao bloco ainda tem de passar pelo plenário do Senado.
Em seu discurso, Lula comemorou a decisão do Congresso brasileiro afirmando que houve uma "quebra de preconceito".
"Acho que o gesto do Senado brasileiro, ontem, foi um gesto gratificante, porque foi a quebra do preconceito. (...) Penso que daqui a uma semana, ou daqui a dez dias, nós teremos definido esse processo e a Venezuela será cada vez mais Mercosul", disse Lula, que citou o depoimento do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, ao Senado brasileiro. Opositor de Chávez, Ledezma criticou duramente o governo da Venezuela, na ocasião, mas defendeu o ingresso do país.
"Isso foi extremamente importante. Certamente você [Chávez] conversou com ele antes, mas aqueles que queriam utilizar o prefeito como pretexto, não deu certo."
Caso se concretize, o ingresso da Venezuela no Mercosul não significará uma vitória pessoal nem fortalecerá seu poder, disse Chávez. "Isso não é o mais importante. A América do Sul se fortalece, você se fortalece, sobretudo os mais jovens."
Sobre a permanência de Lula no poder, Hugo Chávez pediu reflexão, questionando por que, se um presidente é bem avaliado, tem de deixar o cargo. Repetiu a indagação em relação à presidente do Chile, Michelle Bachelet, que goza de mais de 60% de aprovação no país. "Faço a pergunta para buscarem a resposta", disse.
A volta de Lula ao Brasil foi atrasada, já que o Airbus presidencial, apelidado de "Aerolula", apresentou defeito. A aeronave passou por reparos.

Convidada de honra
Na noite de anteontem, Chávez recebeu Lula e a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) para um jantar em hotel a 2.240 metros de altitude. Dilma, que se manteve em segundo plano em quase todos os eventos da viagem e evitou dar entrevistas e ser fotografada, foi a convidada de honra do jantar.
No evento, ao qual a imprensa não teve acesso, Chávez levou um bolo para comemorar o aniversário de Lula, ocorrido na terça-feira. O venezuelano chegou a cometer uma gafe ao citar os "69 anos" do presidente brasileiro, que, na verdade, completou 64.
Ontem, o venezuelano disse acreditar que Dilma, com sua trajetória, será a próxima presidente do Brasil. Segundo ele, é uma mulher que tem a cabeça "bem ordenada". "Creio nisso, pode escrever. Não me meto nessas questões, mas é o que me diz esse coração", disse, batendo no próprio peito.
Questionado sobre a possibilidade de a oposição ganhar as eleições presidenciais de 2010, o presidente venezuelano mudou o tom da entrevista aos jornalistas brasileiros. Afirmou que não se mete em questões internas e que os brasileiros são soberanos e autônomos.

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...