segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Novidades do mundo tecnológico

Começa hoje pagamento de conta sem emissão de boleto. Resta saber se o consumidor brasileiro, cliente de bancos está preparado para a novidade. A gente bem sabe que toda mudança traz suas angustias e que nem sempre são bem aceitas de cara. Mas, há de se explicar bem o que vem a ser o DDA - Débito Direto Automático. Uma nova ferramenta OPCIONAL que o correntista poderá escolher para eliminar o papel. Agora, num mundo ainda impregnado de burocracia, abrir espaço para os boletos eletronicos é uma novidade bem vinda.
A medida vai gerar economia com a emissão e o envio do boleto impresso. Resta saber que reflexos essa economia terá para o conumidor.
a seguir, matéria da Folha de São Paulo sobre o tema.


Opcional, Débito Direto Autorizado permite ao cliente quitar faturas eletronicamente
Conta pode ser paga na internet, no caixa eletrônico ou por telefone; estimativa é que 1 milhão de clientes já tenha se inscrito no sistema

FABRICIO VIEIRA
DA REPORTAGEM LOCAL

Entra hoje em funcionamento o DDA (Débito Direto Autorizado), sistema que permite que os clientes dos bancos consultem e paguem eletronicamente suas contas e elimina a emissão dos boletos de papel e o envio pelo correio.
Estima-se que mais de 1 milhão de correntistas já tenha se inscrito no sistema. Para os bancos e as empresas que emitem boletos de cobrança, a economia com impressão e envio promete ser elevada. No caso do consumidor, o DDA é outra opção para quitar suas contas.
Faturas como mensalidades escolares, planos de saúde, condomínios e financiamentos vão estar disponíveis no sistema.
Para participar do DDA, o cliente deve procurar o banco no qual é cliente e solicitar que seja inscrito no novo sistema. A ideia é que a pessoa deixe de receber os boletos em casa e tenha acesso a eles apenas eletronicamente -via internet banking, caixas automáticos e telefone. O sistema é opcional: quem preferir continua recebendo suas contas via correio.
"Nessa primeira fase, tributos e serviços de concessionárias, como água, luz e telefone, não entrarão no sistema. O problema é que esses boletos são processados regionalmente. Mas já temos um grupo de estudos trabalhando para viabilizar isso no futuro", diz Walter Tadeu de Faria, assessor técnico da Febraban (Federação Brasileira de Bancos).
O responsável pela cobrança do boleto -como escolas, lojas e condomínios- também tem de estar inscrito no sistema. Dessa forma, há boletos que não vão poder ser quitados pelo novo sistema.
"Há dois tipos de boleto em circulação hoje: um é o registrado nos bancos, que vai entrar automaticamente no DDA. Outro é o que não é registrado nos bancos. Mas esperamos que com o tempo os emissores entendam também a vantagem do DDA", diz Faria.

Débito automático
Uma diferença importante entre o DDA e o débito automático é que o novo sistema não implica a cobrança automática, previamente acertada. O DDA apenas apresenta os boletos que irão vencer, com suas datas e características. Para quitá-los, o cliente tem de autorizar um a um os títulos que estiverem vencendo.
A meta da Febraban é que 50% dos boletos passem a ser quitados via DDA até 2012. A entidade estima que, no ano passado, mais de 2 bilhões de boletos tenham sido emitidos.
Em consonância com o atual discurso de responsabilidade socioambiental, a Febraban estima que o uso do DDA permitirá a economia de 1 bilhão de litros de água e a preservação de 370 mil árvores por ano, decorrentes da diminuição da necessidade de papel, destinado à impressão de boletos.

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...