segunda-feira, 19 de abril de 2010

Aéreas querem fim de restrição a voos na Europa

Folha de S. Paulo


Após testes, empresas dizem que não há problemas em voar com nuvem vulcânica; governos europeus avaliam

Na França e no Reino Unido, autoridades se reúnem para discutir os impactos da crise aérea iniciada após erupção de vulcão na Islândia



Autoridades europeias estão sendo pressionadas a suspender restrições de voo sobre o continente depois que companhias iniciaram testes para verificar as condições de tráfego aéreo. As empresas aéreas que operam na Europa registram grandes perdas financeiras desde o início do caos aéreo, na última quinta-feira, decorrente do avanço de uma gigantesca nuvem de fumaça e cinzas expelida por um vulcão em erupção na Islândia.

Após os testes, os governos da França e do Reino Unido anunciaram reuniões para discutir a crise e estudar a possibilidade de reabrir o tráfego aéreo. Em Londres, o premiê Gordon Brown convocou uma reunião urgente do seu gabinete para tratar dos impactos econômicos e da ajuda a cidadãos britânicos que não conseguem retornar ao país. Os cinco aeroportos londrinos continuam fechados, e a British Airways cancelou todos os voos de hoje.

Na Alemanha, onde o espaço aéreo foi fechado no sábado, alguns aeroportos voltaram a operar parcialmente. Porém, os de Frankfurt e Munique continuam fechados.
A companhia aérea alemã Lufthansa, a maior da Europa, realizou testes de voo no final de semana sem registrar problemas, e considera que foi "escandalosa" a proibição imposta pelas autoridades. A empresa divulgou perdas na ordem de US$ 34 milhões por dia devido à crise aérea.

Na França, os aeroportos de Marselha e Nice, no sul, foram reabertos, mas o espaço aéreo no norte do país continua fechado até pelo menos amanhã. A Air France realizou testes de voo entre Paris e Toulouse. Segundo a empresa, eles não apresentaram problemas.

A companhia aérea holandesa KLM cancelou todos os voos na Europa previstos para ontem e voos intercontinentais que partem do aeroporto de Amsterdã. A KLM também realizou testes de voo, que não detectaram problemas.

Centenas de milhares de passageiros foram afetados ao redor do mundo pelo fechamento do espaço aéreo em vários países da Europa. Segundo a Eurocontrol, agência responsável pela segurança aérea europeia, aproximadamente 20 mil dos 24 mil voos previstos para ontem foram cancelados no continente. Desde o início da crise, cerca de 63 mil voos foram suspensos na Europa.