sexta-feira, 9 de abril de 2010

Atenção ao cartão!


Cresce o pagamento de juros nos cartões
Crédito a juros dispara no cartão
Valor Econômico

A entrada de clientes de renda mais baixa no mercado de cartões de crédito é uma das razões da alta de 45,5% no uso do crédito rotativo e das compras parceladas com juros em fevereiro, na comparação com o mesmo mês em 2009, que alcançou R$ 15,1 bilhões. Segundo o presidente da Acrefi, Adalberto Savioli, o parcelamento é oferecido para evitar a alta da inadimplência. "O rotativo pode deixar você feliz um ou dois meses, mas depois não vai conseguir pagar".

O rotativo e as compras parceladas com juros no cartão de crédito disparam em fevereiro, com alta de 45,5% em comparação a igual mês de 2009, a R$ 15,1 bilhões pelos últimos dados do Banco Central (BC). Além dos efeitos sazonais, decorrentes do acúmulo de obrigações típicas de primeiros trimestres, como IPVA, IPTU, material e matrículas escolares, o salto revela a participação crescente das classes C, D e E nesse mercado, público que vem tendo acesso aos plásticos com bandeira mesmo antes de ter conta corrente. São consumidores que têm sido alvo dos correspondentes bancários e também das redes de varejo para converter unidades "private label" em cartões com bandeira, mas que ainda não assimilaram o efeito perverso dos juros ao pagar o mínimo da fatura.

A iniciativa dos bancos de oferecer a opção de parcelamento nos extratos mensais pode ainda estar contribuindo para inflar as concessões a juros. Instituições como Itaú, Santander, Bradesco e Panamericano têm apresentado a alternativa - com alongamento do prazo, mas no mesmo custo do rotativo. Nos anos recentes, em nenhum fevereiro observou-se taxas de crescimento dessa ordem. Os R$ 15 bilhões equiparam-se aos desembolsos de dezembro, mês de pico nas vendas do varejo, em que muitos consumidores optam pelo parcelamento na hora da compra.(Reportagem completa em Valor Economico)

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...