sábado, 7 de novembro de 2009

Abertura de capital pode ficar livre de IOF, diz Bovespa

DA REUTERS

O Brasil estuda isentar as ofertas públicas iniciais de ações (IPO, na sigla em inglês) da taxa de 2% sobre a entrada de capital estrangeiro para ações e renda fixa, disse ontem o diretor-executivo de desenvolvimento da BM&FBovespa, Paulo Oliveira.
O Brasil começou a cobrar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) no mês passado com o objetivo de tentar conter a valorização do real. O dólar acumula queda de 26,35% neste ano. A moeda norte-americana encerrou a semana cotada a R$ 1,719.
"Isso [a isenção do IOF para os IPOs] ainda está em discussão", disse Oliveira em encontro com jornalistas.
A informação não foi confirmada pelo Ministério da Fazenda.