sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Desonerar PF para estimular o consumo. Nem pensar!

Essa semana, pode-se dizer, foi a semana das desonerações. Por dois dias seguidos, o ministro da fazenda, Guido Mantega, convocou a imprensa para anunciar desoneraç~eos em vários setores produtivos da economia. A iniciativa visa estimular ainda mais o consumo principalmente em período tão fértil para as compras como assim o é o fim de ano.
A desoneração, sem dúvida reflete no consumo. Veja-se o aumento de vendas de automóveis que este ano registrou um incremento e o BRasil aparece entre os três países que conseguiram essa façanha em tempos de crise global. A verdade é que brasileiro adora uma promoção e quase que instintivamente se lança ás compras sem imaginar que a desoneração não significa necessáriamente que tenhamos que comprar.
Será que agora as vendas de móveis vão também dar um salto? Tenho certeza que sim. Brasileiro é assim.
A verdade (também) é que brasileiro odeia pagar imposto. Agora, por que não desonerar os tributos que pagamos diretamente em nossa folha de pagamento. Também nesse caso sobraria mais dinheiro para o consumo. Ouvi de um analista que os automoveis ganharam primeiro a desoneração devido à forte pressão que sabem fazer em Brasília.
É concordo com essa leitura. Lobby é lobby em quanlquer lugar e ganha seu espaço sempre que bem feito. Agora, desonerar a Pessoa Física depende de um lobby de uma parcela da população chamada povo e, principalmente classe média - grande pagadora de impostos. alguém já viu povo fazer lobby e se dar bem? raríssimas vezes funcionou.
///~..~\\\

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...