segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Coisa de mãe...

'Caetano não tinha que dizer aquilo'
Foi uma ofensa sem necessidade
Autor(es): Rita Conrado*
O Globo - 16/11/2009

SALVADOR. Mãe de Caetano Veloso, dona Canô Veloso, de 102 anos, jura que não vai puxar as orelhas do filho, mas faz questão de telefonar hoje para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva: quer se desculpar pelas declarações do cantor, que chamou o presidente da República de analfabeto, grosseiro e cafona numa entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”.

— Se ele me atender, falo com ele — disse dona Canô, que ainda não sabe o que dizer. — Vou falar o que estiver sentindo na hora.

Mas a matriarca da família Veloso tem dúvidas sobre se Lula poderá atendê-la.

— Tentei falar com ele no dia do seu aniversário, mas eu não consegui. Ele é muito ocupado — disse dona Canô, que, apesar de não concordar com Caetano Veloso, disse que não vai lhe puxar as orelhas. — Ele mesmo puxa. Sabe que o presidente não merece isso.

A mãe de Caetano falou do carinho que nutre pelo presidente: — Lula não merece isso. Quero muito bem a ele. Foi uma ofensa sem necessidade.

Caetano não tinha que dizer aquilo.

Vota em Lula se quiser, não precisa ofender nem procurar confusão.

Dona Canô não se mostrou preocupada com uma possível insatisfação de Caetano às suas declarações ou às de seu irmão, Rodrigo Veloso, secretário de Cultura de Santo Amaro.

— Ele está doido? Ele tem de aceitar — disse, ressaltando que não fará uma reprimenda ao filho. — Ele também não merece. É o jeito dele.

O irmão de Caetano atribuiu ao “jeito” de Caetano as declarações sobre Lula, que achou absurdas.

— Caetano tem mania de falar sem pensar e aí diz coisas assim.

Falou de maneira preconceituosa.

Achei maluquice. Fiquei revoltado — disse Rodrigo, que contou como surgiu o pedido de desculpas.

— No palanque de um evento em Santo Amaro, a primeira coisa que me ocorreu, vendo o secretário Rui Costa (de Relações Institucionais do Estado), foi pedir a ele que transmitisse ao governador Jaques Wagner e ao presidente Lula o pedido de desculpas em nome da minha mãe e da nossa família.

Achei decente fazer isso.

Segundo Rodrigo, as declarações de Caetano foram feitas dois dias após Lula ter atendido a um pedido de dona Canô.

— Minha mãe pediu e o presidente solicitou ao secretário da Saúde que ajude a Santa Casa de Misericórdia, que está prestes a fechar — disse Rodrigo, que afirmou desconhecer as intenções de Caetano com as declarações. — Pelo que conheço dele, já até esqueceu o que falou.