domingo, 8 de novembro de 2009

Criador e Criatura.


Assim como tem feito (repetidas vezes) o presidente da república, Dilma também ataca oposição "midiática" e imprensa

Da Folha de São Paulo
Em encontro com prefeitos do PT em São Paulo, ministra diz que petistas são "de fato os grandes democratas do Brasil"

Pré-candidata de Lula subiu o tom dos ataques dias após FHC criticar, em artigo para jornal, o "lulismo" que estaria no comando do país hoje

Rodrigo Paiva/Folha Imagem

Ricardo Berzoini, presidente do PT, e Dilma no encontro em SP

ANA FLOR
DA REPORTAGEM LOCAL

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) saiu em defesa ontem do presidente Lula, atacando a imprensa e a oposição. Dilma afirmou que existe uma "oposição quase midiática" no país e acusou segmentos da imprensa de "partidarização".
Na semana passada, o governo Lula foi alvo de críticas do ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. O cantor Caetano Veloso foi também a público dizer que Lula é "analfabeto e grosseiro".
Ao falar a prefeitos e vice-prefeitos do PT ontem em São Paulo, Dilma disse que as alianças que o PT está construindo devem ser "uma das explicações para o crescente isolamento de setores políticos, basicamente a oposição, que se vê sem projeto, sem discurso e cada vez mais sem base social".
Dilma disse ainda que há a "substituição da oposição partidária pela oposição quase midiática". Ela voltou a classificar a oposição de "patética", como fez no dia anterior, além de chamá-la de "desconexa" e vítima de um "excesso de vaidade".
Ao se referir ao PT, disse que "nós somos de fato os grandes democratas do Brasil".
Numa tentativa de municiar os prefeitos para defenderem o projeto petista na campanha do próximo ano, Dilma falou que o governo tem derrubado "dogmas" da oposição. Como exemplo, falou da crença de que "o povo é politicamente atrasado [e] precisa de formadores de opinião o orientando" -uma resposta às críticas de Caetano.
Dilma foi recebida por centenas de prefeitos e vice-prefeitos do PT em Guarulhos. Além de gritos de "Urgente, Dilma presidente" da plateia, os palestrantes brincavam, ao começar suas falas, dizendo "bom Dilma" -ao invés de "bom dia".
A ministra subiu o tom dos ataques menos de uma semana depois de FHC criticar, em artigos para jornais, o "lulismo" que comandaria o grupo hoje no poder no país.
Em seu discurso, o presidente do PT, Ricardo Berzoini, chamou o ex-presidente de "Fracassando Henrique Cardoso".
Há poucas semanas, também em São Paulo, Lula criticou a imprensa, afirmando que o povo pensa por si e "não precisa de intermediários". A fala de Dilma, muito aplaudida pela plateia petista, foi na mesma linha. Segundo ela, é "arrogância atribuir nossa popularidade como uma miopia" do povo.
Ao falar das eleições presidenciais do próximo ano, Dilma disse que estarão em jogo "dois brasis": "O Brasil de 2002, que vocês lembram bem, e o Brasil de 2009-2010", disse ela, fortalecendo a ideia que o PT tenta imprimir na disputa, de que as eleições serão um plebiscito entre o projeto do atual governo e do anterior, do PSDB, que comandou o país de 1995 a 2002.
Ao comparar as gestões, ela afirmou que o diferencial desse governo é a "competência". "A eles pode ter faltado sorte, mas faltou competência."
Dilma estava acompanhada dos ministros Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Luiz Barreto (Turismo), por senadores, deputados e outras lideranças do partido. Depois do ato da manhã, ela participou de um almoço com prefeitas, vice-prefeitas e mulheres do PT.

Blade Runner para bebês?

por katia maia Com meus filhos crescidos, adultos e já homens feitos, não preciso mais pautar minhas idas ao cinema aos horários, ses...